Quinta-feira, 18 de Abril de 2019
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Parcialmente nublado
23°
13°
13°C
Não-Me-Toque/RS
Parcialmente nublado
No ar: RÁDIO JORNAL DA MANHÃ
Ao Vivo: RÁDIO JORNAL DA MANHÃ
Notícias

Antes da suspensão, caminhoneiros poderão ter até 40 pontos na CNH, propõe PL

Antes da suspensão, caminhoneiros poderão ter até 40 pontos na CNH, propõe PL
30.01.2019 08h14  /  Postado por: Rádio Ceres

Um projeto de lei que já foi aprovado na Câmara dos Deputados e que está em análise na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, pretende aumentar a quantidade de pontos que os caminhoneiros poderão ter na carteira de motorista por infrações de trânsito.

A proposta determina que, ao invés de 20 pontos em um ano, como todos os motoristas, o limite para os transportadores de cargas pode chegar a 40 pontos, desde que nenhuma infração seja grave ou gravíssima.

O senador Guaracy Silveira (PSL-TO) afirma que o tratamento entre os caminhoneiros e os motoristas convencionais deveria ser diferenciado.

“Eu não estou defendendo que alguém dirija embriagado – esse tem que tirar a carteira mesmo – alguém que dirija sob efeito de tóxicos, de drogas pesadas – esse tem que tirar a carteira, porque está colocando em risco também a vida de outras pessoas. Mas, qualquer infração acumulada, chegou a 21 pontos, a carteira se perde. Então, não se pode tratar no mesmo nível de igualdade”.

O caminhoneiro Wallisson André Martins da Silva, de 36 anos, morador do Distrito Federal, aprovou a ideia do projeto de lei.

“Eu acho que é correto, mais do que justo, pois as pessoas que tem carro pequeno rodam bem menos que a gente e o valor de pontuação é a mesma para gente. Por exemplo, eu começo a trabalhar às 7:00 e vou parar 19:00 rodando em um caminhão. Eu acho mais do que justo, sim. Eu acho que é um projeto que vai atender a categoria dos caminhoneiros, sim. E, claro, aqueles que ultrapassarem tem que ser punidos mesmo”.

O projeto de lei também institui o marco regulatório do transporte de cargas. O texto trata de questões como frete, seguro e relações contratuais.

Com colaboração da Rádio Senado. Reportagem, Cintia Moreira

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.